José Cid

(1 imagens)

Sobre

José Albano Cid de Ferreira Tavares (Chamusca, 4 de Fevereiro de 1942), popular cantor, teclista e compositor português. É monárquico e anarquista (ou é monárquico ou é anarquista, isto está em desacordo) e vive actualmente em Mogofores, Anadia.

Biografia:

1956-1967
Em 1956, funda Os babies, agrupamento musical especializado na interpretação de músicas de outras bandas. Em 1960, funda o Conjunto orfeão, com José Niza, Proença de Carvalho e Rui Ressurreição.

1968-1972
A fama chegou-lhe inicialmente através da sua participação como teclista e vocalista no conjunto Quarteto 1111, no qual obteve grande êxito com a canção A lenda de El-Rei D.Sebastião, em 1967, inovadora para a época. Ainda com o quarteto, concorreu ao Festival RTP da Canção de 1968, com Balada para D.Inês.
O álbum homónimo do Quarteto 1111 é editado em 1970, sendo alvo de censura.
Em 1971, José Cid lança o seu primeiro disco a solo. São também editados os EPs Lisboa perto e longe e História verdadeira de Natal. No ano seguinte lança o EP "Camarada". ???

1973-1979
Em 1973, o Quarteto 1111 adopta o nome Green Windows, numa tentativa de internacionalização.
Concorre ao Festival RTP da Canção de 1974, a solo com "Uma rosa que te Dei" e com os Green Windows que apresentaram as canções "No dia em que o rei fez anos" e "Imagens".
Uma das suas composições mais conhecidas, "Ontem, hoje e amanhã", recebe um dos prémios de "composição notável" no Festival Yamaha de Tóquio, em 1975, certame a que tinha concorrido já em 1971 com "Ficou para Tia".
Forma o grupo Cid, Scarpa, Carrapa & Nabo, com Guilherme Inês, José Moz Carrapa e Zé Nabo. Gravam o tema "Mosca super-star" e o EP "Vida (Sons do quotidiano)" de 1977.
Em 1978 publica o álbum 10,000 anos depois entre Vénus e Marte, um marco na história do rock progressivo, que vem a obter mais tarde reconhecimento a nível internacional.
No Festival da OTI de 1979, fica em 3º lugar com "Na cabana junto à praia".

1980-1989
Com a canção "Um grande, grande amor", vence o Festival RTP da Canção (1980) com 93 pontos. No eurofestival conquista um honroso 7º lugar, com 80 pontos, entre 19 concorrentes.
"Como o macaco gosta de banana", "Mosca Superstar" ou "Cai neve em Nova York".

1990-1991
No início dos anos 90, José Cid causou alguma polémica ao posar nu para uma revista de acontecimentos sociais, com um dos seus discos de ouro, como forma de protesto contra a forma como as rádios desprezavam os intérpretes portugueses, incluindo ele próprio, em proveito de intérpretes estrangeiros.

2000-
Em 2004, José Cid participou em anúncios de uma conhecida marca de chás gelados, nos quais se interpretou a si próprio, cantando e vindo do espaço, enquanto proferia a frase: "Olá malta! Tudo bem? Tá-se?"
2006 foi um ano de grande sucesso para José Cid. Trouxe a sua música aos palcos do bar Maxime, em Lisboa, em dois espectáculos com bilhetes rapidamente esgotados e um mar de gente eufórica a assistir. Lançou um novo disco, "Baladas da minha vida", com velhas canções regravadas de forma acústica sem recurso a computadores e dois temas novos, "O melhor tempo da minha vida" e "Café contigo".

Discos (selecção):

Com o Quarteto 1111

EP's

* 1967 - A Lenda de El-Rei D.Sebastião
* 1967 - Balada para D. Inês
* 1968 - Dona Vitória
* 1970 - Domingo em Bidonville

Singles

* 1968 - Meu Irmão / Ababilah
* 1969 - Nas Terras do Fim do Mundo / Bissaide
* 1969 - Génese / Os Monstros Sagrados
* 1970 - Todo o Mundo e Ninguém / É Tempo de Pensar em Termos de Futuro
* 1970 - Back to the Country / Everybody Needs Love, Peace and Food
* 1971 - Ode to the Beatles / 1111
* 1972 - Sabor a Povo / Uma Nova Maneira de Encarar o Mundo
* 1987 - Memo / Os Rios Nasceram Nossos

LP's

* 1970 - Quarteto 1111
* 1973 - Bruma Azul do Desejado (com Frei Hermano da Câmara)
* 1974 - Onde, Quando, Como, Porquê, Cantamos Pessoas Vivas - Obra-Ensaio de José Cid

Compilações

* 1981 - Antologia da Música Popular Portuguesa
* 1993 - A Lenda Do Quarteto 1111
* 1996 - A Lenda De El-Rei D. Sebastião - Colecção Caravela
* 2005 - Singles and EPs

Com Green Windows

* 1974 - No dia em que o rei fez anos (LP DECCA slpdx 538)

A solo

EP's

* 1971 - Lisboa Perto e Longe
* 1971 - História Verdadeira de Natal
* 1972 - Camarada
* 1977 - Vida (Sons do Quotidiano)
* 1978 - O Meu Piano/Aqui Fica Uma Canção/O Largo do Coreto/Porquê, Meu Amor, Porquê?
* 1980 - Um Grande, Grande Amor

LP's / CD's (incluindo compilações)

* 1971 - José Cid
* 1974 - No Dia Em Que O Rei Fez Anos
* 1977 - Êxitos de José Cid
* 1978 - 10,000 Anos Depois Entre Venus e Marte
* 1979 - José Cid Canta Coisas Suas
* 1980 - My Music
* 1980 - Os Grandes, Grandes Êxitos
* 1981 - Antologia da Música Popular Portuguesa
* 1982 - Os Grandes, Grandes Êxitos II
* 1983 - Magia
* 1986 - Xi-Coração
* 1987 - Fado de Sempre
* 1989 - José Cid
* 1990 - O Melhor de José Cid
* 1991 - De Par Em Par
* 1992 - Camões, as Descobertas e Nós
* 1994 - Vendedor de Sonhos
* 1994 - O Melhor dos Melhores
* 1996 - Pelos Direitos do Homem
* 1996 - Nunca Mais É Sexta-Feira
* 1996 - A Rosa Que Te Dei - Colecção Caravela
* 1997 - Cais Sodré
* 1998 - Ode a Federico Garcia Lorca
* 1998 - Entre Margens
* 1999 - Os Inesquecíveis
* 2000 - Clássicos da Renascença
* 2001 - De Surpresa
* 2001 - O Melhor de 2
* 2003 - Antologia - Nasci p'ra música
* 2003 - Best
* 2004 - A Arte e a Música
* 2006 - Baladas da minha vida
* 2006 - Grandes Êxitos
* 2006 - Antologia II
* 2007 - Pop Rock e Vice Versa

Festival da Canção:

Concorre ao Festival RTP da Canção de 1974, a solo com "Uma rosa que te Dei" e com os Green Windows que apresentaram as canções "No dia em que o rei fez anos" e "Imagens".
José Cid concorreu ao Festival RTP da Canção de 1978 com três composições, alcançando o 2º lugar com "O meu piano".
Com a canção "Um grande, grande amor", vence o Festival RTP da Canção de (1980).
Em 1993 concorre com o fadista Paulo Bragança ao Festival RTP da Canção com "O Poeta, o pintor e o músico", no estilo neo-fado-canção que a Ala dos Namorados viria a popularizar. Apesar de grandes favoritos, ficaram em segundo lugar atrás de Anabela.
Em 1995 concorre apenas como autor e compositor ao Festival RTP da Canção com "Plural", canção entre o jazz e o étnico interpretada por Teresa Brito, irmã de Tozé Brito. Mais uma vez favoritos, ficam em 3.º lugar.
Insiste novamente em 1996, volta a concorrer como compositor e autor, entregando a Cristina Castro Pereira o tema "Ganhamos o Céu", que se fica pelo quarto lugar. Ganhou Lúcia Moniz com um tema étnico/bossa nova "O meu coração não tem cor".
Volta à carga no ano seguinte, 1997, como compositor e autor de "Canção Urgente", um tema pop-rock clássico, cantado pela banda "Meninos da Sacristia". Fica em 6.º lugar na votação final, apesar de ser o favorito na votação telefónica do público.
Em 1998 vence finalmente, pela segunda vez, o Festival RTP da Canção como compositor e autor da canção "Se eu te pudesse abraçar", defendida pela banda Alma Lusa, na voz de Inês Santos. Obteve o voto máximo dos cinco jurados presentes no Teatro S. Luis. Em Birmingham, Reino Unido, obtem o 12.º lugar, o melhor resultado obtido pela RTP nas últimas 10 edições do Eurofestival. Em todas as participações no festival RTP da Canção entre 1993 e 1998 a direcção de orquestra foi entregue a Mike Seargent.

Citações:

Frases interessantes proferidas por José Cid.

* "Se Elton John tivesse nascido na Chamusca, não teria tido tanto êxito como eu." in Pública, 2003
* "Tentaram e conseguiram pôr-me na prateleira. Mas a verdade é que os outros artistas estão na prateleira e eu estou cá." in Pública, 2003
* "A nova geração tem de descobrir qual é o seu dinossauro. Todos os países têm o seu dinossauro. Os franceses têm o Johnny Halliday, os espanhóis o Miguel Rios. Ambos são uma porcaria ao pé de mim. Sou infinitamente melhor do que eles e tenho uma melhor estética." in Pública, 2003
* "Usem e abusem de mim. Estou cá, canto e bem ao vivo. Façam de mim o que quiserem. Estou com uma grande voz." in Pública, 2003
* "Adoro o «Cantor da TV», a canção menos comercial daquele álbum [Nasci prà música]. Dificilmente conseguiria escrever [outro] tema daquela maneira. É muito bem esgalhado e muito bem tocado." in Pública, 2003
* "Essa canção [Como o macaco gosta de banana] foi um escândalo. As pessoas julgaram que era uma canção ordinária. (...) Divirto-me à brava quando a oiço, porque é uma canção que não se pode levar a sério. Tem um sentido de humor de abandalhar o sistema." in Pública, 2003
* "Olá malta! Tudo bem? Tá-se?" in anúncio Lipton, 2004
* "Dá-me favas com chouriço." in Cabaré da Coxa, 2004
* "Se o Rui Veloso é o pai do rock português, eu sou a mãe." in Queima das Fitas do Porto, 2004
* "O último álbum da Madonna é um cagalhão", em entrevista à Rádio Comercial, 2006
* "Gostava que não reparassem só no mau (...). De qualquer forma, o meu pior é muito melhor do que o melhor do Tony Carreira.", em entrevista ao jornal Metro, 2006
* "Adoro favas com chouriço. Quem não gosta?", em entrevista ao jornal Metro, 2006
* "Quando chego para jantar, estás agarrada ao pito.", claramente ironizando com a sua própria música "Pouco a pouco", onde canta "Quando chego para jantar, quase nem acredito". in Aveiro - Festa de São Gonçalinho, 2007
* "Uma vez perguntaram-me se eu era um cantor romântico... eu raramente sou um cantor romântico, os cantores românticos tem mau hálito e pila pequena.", in Aveiro - Festa de São Gonçalinho, 2007
* "Elas comem as favas, nós comemos o chouriço" - na Semana Académica da Universidade do Algarve, 07/05/2007
* "Não me mandem cuecas para o palco, eu não sou o Tony Carreira" - na Semana Académica da Universidade do Algarve, 07/05/2007

Links

last.fm

Próximos concertos de José Cid

Sem concertos agendados